Como otimizar a base de dados da sua clínica para obter melhores resultados

  1. Home
  2. Blog
  3. Como otimizar a base de dados da sua clínica para obter melhores resultados
Sabe qual é a principal munição da sua clínica em tempos de comunicação digital? Sua base de dados.

Uma base de dados atualizada, bem segmentada e direcionada de acordo com a natureza do seu trabalho é o que existe de mais poderoso e eficaz no universo do marketing digital e é o que dá sustentação para a maioria das ações.

“Construir uma base de dados bem feita é primordial para qualquer empresa, principalmente clinicas e consultórios em que a relação com o paciente é totalmente baseada na empatia e confiança. Porém, é preciso aperfeiçoar-la de forma a extrair todo potencial que ela contém” observa Augusto Afonso CEO da Agência Influência.

Assim como uma criança saudável, sua base de dados precisa ser alimentada para crescer. Para isso deve ser bem nutrida e ganhar segmentação.

Uma base de dados de clientes e potenciais que esteja atualizada e segmentada permite tratar os destinatários pelo nome, adaptar os conteúdos aos perfis de clientes identificados, Além de testar, avaliar e melhorar  a performance de acordo com os diferentes perfis e segmentos.

Alimentar e nutrir: captação de dados

Como já mencionamos, as informações coletadas sobre clientes e leads, quando feitas corretamente, permitem a implantação de diversas estratégias do marketing digital com muito mais chances de sucesso.

Existem diversas formas de fazer isso. No caso das clínicas de especialidades, a captação começa logo na recepção – seja ela presencial ou virtual. Nesse momento são requisitadas informações completas do paciente como nome, sexo, telefone, e-mail, cidade, data da consulta, e especialidade que pretende consultar.

Segundo Augusto Afonso, é no item “especialidade” onde são detectados os maiores problemas na área de saúde. “Ao fazer o primeiro cadastro, diz ele, as clínicas não costumam dar a devida importância para essa informação e perdem a oportunidade de manter uma comunicação e um relacionamento de mais qualidade com o paciente. Para o CEO da Agência Influência, apenas com esse dado – o tipo de especialidade procurada – é possível, por exemplo, fazer o acompanhamento da recorrência da consulta e enviar lembretes sobre procedimentos e comunicações mais direcionadas e efetivas.”

Outro exemplo de otimização do cadastro é a informação da idade. Para  mulheres com mais de 40 anos direcionam-se, entre outras coisas, campanhas como Outubro Rosa, que incentivam a paciente a marcar sua mamografia. As mais jovens recebem chamados para outro tipo de ação, assim como as mais idosas que são convocadas para outros procedimentos e cuidados.

Portanto é muito importante avaliar com critério os dados cadastrais que são solicitados na recepção para poder utiliza-los em campanhas e nos contatos da maneira mais assertiva possível.

Avaliar e Higienizar

Base de dados é algo que deve crescer todos os dias. Portanto, precisa ser periodicamente avaliada e “higienizada.” Contatos antigos ou que já não agregam valor devem ser excluídos, dando lugar a novos e mais qualificados. Essa pratica, quando feita sistematicamente, evita o acúmulo de elementos desnecessários ou incorretos, bem como informações repetidas que comprometem o armazenamento dos dados no sistema e atrapalham a identificação das informações que são realmente valiosas.

Segmentar

Toda base de dados deve ser segmentada. E por quê?

Para criar e manter uma comunicação direcionada e personalizada. Quanto mais informações a base de dados tiver, melhor a segmentação.

Um exemplo de como isso funciona na rotina de uma clinica é a paciente que passou em consulta com a Nutricionista e que vai receber informações sobre alimentação saudável, dicas, receitas etc. Ou ainda uma gestante que faz acompanhamento com o obstetra e recebe e-mails com informações sobre a fase do bebê, dicas e lembretes de exames e consultas, assim por diante.

Sendo assim, uma base de dados de clientes e potenciais clientes atualizada e segmentada traz benefícios reais para converter leads, contatos ou clientes potenciais em clientes reais.

A segmentação gera maior taxa de abertura dos e-mails, dá mais relevância aos conteúdos conferindo autoridade para o profissional de saúde ou clínica, aumenta a confiança do cliente, possibilita oferecer serviços exclusivos, promove a imagem, melhora a reputação da clínica no mercado e ainda incentiva a fidelização.

Aplicativos e Marketing de redes sociais

Uma base de dados segmentada e detalhada permite também o aproveitamento de outros canais de comunicação como os aplicativos Whatsapp e SMS com pesquisas de satisfação, lembretes, etc.

Paralelamente, as campanhas de listagem personalizada do Facebook são mais um recurso de extrema utilidade para otimizar a base de dados. Esse tipo de campanha faz a integração da lista de pacientes da clínica com o sistema de anúncios da rede e comparando os e-mails e números fornecidos com os utilizados para o cadastro e identificando, assim, os usuários da rede que já tiveram contato com a clínica.

A partir daí é possível criar anúncios segmentados para esse grupo de contatos, tanto no Facebook como no Instagram, implementando campanhas totalmente adaptadas aos seus objetivos.

Na  mesma linha, existe ainda o Lookalike, também conhecido por “Público Semelhante.” Trata-se de uma função que que permite localizar pacientes ou clientes em potencial que tenham características e interesses parecidos aos do seu público alvo. Com isso, as campanhas se tornam mais efetivas pois serão direcionadas para um público muito semelhante ao que já interage com sua clínica e sua marca.

Precisa de ajuda para cuidar de sua base de dados e tirar o máximo proveito dela? Converse com a Agência Influência. E terá todo suporte que precisa.

Tags:
Anterior
Inbound Marketing: porque é a prescrição certa para á área da saúde
Próxima
O que aprender com as taxas de rejeição
Menu