Diferenças entre Facebook, Instagram e Linkedin para os negócios

  1. Home
  2. Blog
  3. Diferenças entre Facebook, Instagram e Linkedin para os negócios

Fazer negócios na internet já se tornou uma daquelas atividades no Brasil que todo mundo “entende” um pouco, assim como o futebol, a medicina e as leis. E todos dão palpites, com a agravante que existem milhões de artigos que transformam qualquer pessoa num “grande especialista.” em qualquer assunto.

Mas o fato é que com tantas informações, o B.A – BA, ou seja, o básico pode acabar confundindo muita gente.

Aqui, a Agência Influência retoma alguns desses conceitos básicos e foca nas diferenças entre as três maiores redes sociais com apelo de negócios: Facebook, Instagram e Linkedin.

Rede social ou mídia social?

É muito comum as pessoas falarem que mídia social e rede social são a mesma coisa. Mas existem diferenças entre um termo e o outro.

mídia social, ou “new media” (nova mídia), é o que o nome das plataformas que as empresas utilizam para se comunicar com seus clientes e com o público em geral. Essa comunicação acontece por meio do Facebook , Instagram, Linkedin, Twitter, Blogger dentre outras redes sociais.

Portanto, quando se fala em mídia social, estamos falando de um lugar em que todas as empresas querem estar pois permitem desenvolver técnicas e campanhas para alavancar os negócios na internet.

Já o termo rede social, ou site de relacionamento, como o próprio nome diz, se trata de um espaço onde os usuários ficam conectados em grupos, como, por exemplo, as comunidades do falecido Orkut, as listas do Twitter, dentre outras opções que todos conhecemos.

Diferentes plataformas para diferentes demandas

Cada uma das mídias sociais tem suas próprias características. É um universo extremamente dinâmico e a cada momento surgem novas funcionalidades, algoritmos, regras e possibilidades, especialmente para as empresas.

O  Facebook, por exemplo, é extraordinário não só para criar relações de amizade e contatos profissionais, mas  essencialmente para divulgar negócios, novos produtos e encontrar clientes em todo mundo que estejam interessados no que as empresas  desejam vender.

Hoje em dia, ficou difícil pensar em um negócio que não encontre seu público no Facebook. Só no Brasil, são mais de 139 milhões de usuários cadastrados, um total de dois bilhões de usuários em todo o mundo.

Mas numa abordagem um pouco mais técnica, lembramos que existe uma grande diferença entre perfil pessoal do Facebook e FanPage.

O primeiro é um perfil comum, usado pela maioria dos internautas que tem conta na rede social. Já no segundo, falamos de um perfil exclusivo destinado principalmente para empresas, no qual os amigos são substituídos por curtidas e essas curtidas variam de acordo com os conteúdos que estão sendo compartilhados no feed de notícias.

Do ponto de vista do marketing, o Facebook consagrou-se como uma plataforma multifuncional. Pode ser utilizado desde a divulgação de um negócio e a construção da imagem de uma marca até para alimentar o relacionamento com o público, divulgar lançamentos, ofertas, promoções ou ainda ter a função de um SAC – Serviço de atendimento ao cliente.

A partir da criação da pagina do Facebook é possível fazer posts com fotos, vídeos e textos, compartilhar conteúdos de outros canais, interagir com pessoas e outras empresas, participar de grupos e conhecer melhor o público. Outra possibilidade: o engajamento do público com lives, páginas de eventos e o melhor: segmentar anúncios para levar a marca e produtos ao público certo.

O Facebook permite a criação de diferentes tipos de anúncios de acordo com cada estratégia de Marketing Digital adotada.

Se a necessidade for gerar tráfego, por exemplo, os anúncios devem ser criados de forma a levar diretamente para o um domínio, página no Facebook ou landing page, que são os formulários onde as leads deixam seus contatos para um futuro relacionamento ou compra.

Mas se a estratégia for angariar leads e vendas, pode apostar em anúncios de carrossel que permitem fotos e vídeos em uma única publicação, que apresentam vários produtos ou vários ângulos do mesmo.

Outro recurso que o Facebook disponibiliza é uma espécie de Analytics, que torna possível conferir os resultados do que foi investido: Custo por mil impressões (CPM), Click-through Rate (CTR), Custo por clique (CPC), e várias outras métricas que podem ser acompanhadas e configuradas de acordo com a necessidade de cada um.

Ao mesmo tempo, uma  outra ferramenta informa dados como idade, gênero e localização, desempenho das campanhas, número de curtidas, likes e deslikes na página e as publicações mais vantajosas.

Assim,  é sempre possível avaliar e alterar a estratégia, o anúncio, a linguagem e o que for preciso para obter sucesso nas campanhas.

O Facebook também é uma das redes sociais que mais lança novas ferramentas para os seus usuários. Recentemente lançou a opção de inserir um botão para o Whats App nos anúncios, recurso que muitas empresas adotaram rapidamente e com sucesso.

Instagram muito além das imagens

 O Instagram surgiu com a seguinte proposta: com um celular na mão, um olhar particular e um toque de criatividade, as pessoas poderiam mostrar um pouco da sua vida para o mundo em imagens espetaculares.

Com o tempo, o que era apenas diversão se transformou em oportunidade de negócios. E fica fácil explicar o motivo: atualmente, o Instagram conta com mais de 25 milhões de perfis empresariais e mais de dois milhões de anunciantes.

O Instagram traz muitas funcionalidades que o tornaram uma rede incrivelmente relevante para os negócios. Além da publicidade, permite a criação de stories, lives, vídeos, carrosséis e diversos outros formatos.

A plataforma de anúncios é a mesma do Facebook, o Power Editor, mas com algumas limitações: os posts só podem ser construídos em formatos de vídeo, foto e carrossel de imagens.

Com os anúncios, é possível levar o usuário para um outro domínio, como landing pages ou sites, ou até mesmo para fazer downloads – tudo diretamente da foto ou vídeo postado.

Os links não são permitidos nas postagens convencionais (gratuitas).  Sendo assim, se a estratégia for gerar tráfego ou leads, a opção é criar um anúncio pago. Mas é bom prestar atenção nas especificações para criação do anúncio: existe limite no uso de caracteres, texto de descrição, tamanho da imagem, etc.

Uma arma poderosa do Instagram é que ele também possibilita a segmentação de público, como idade, gênero, localização e interesses pessoais. É possível configurá-lo para que o anúncio seja direcionado somente para esses usuários.

Para completar, falamos do Instagram Stories, o formato mais amado pelo público da rede. Alí é possível anunciar, mostrar novidades, desenvolver tutoriais, realizar enquetes.

Além de disseminar marcas, o Instagram é um canal  para aumentar as vendas, pois estreita a relação das empresas com clientes atuais e potenciais de forma mais humanizada.

Linkedin e suas possibilidades

A proposta do Linkedin é totalmente voltada para o mundo profissional. Por isso,  o lugar ideal para falar sobre o negócio, seus valores e cultura organizacional.

Também é a plataforma mais adequada para publicação de conteúdos educativos para profissionais, marcar posição como autoridade, assim como converter e se relacionar com clientes.

Por facilitar o relacionamento entre os profissionais no ambiente digital e fomentar o network, facilita também a busca por novos colaboradores e parcerias com outras empresas.

Existe uma versão mais completa e com mais funcionalidades que o usuário pode comprar pagando uma mensalidade. Com esses recursos, os usuários podem deixar o currículo em destaque para os recrutadores, ver como se qualificam para vagas em relação aos outros e enviar e-mails diretamente para o profissional ou empresa que está anunciando a vaga.

Linkedin para empresas

Para as empresas, o LinkedIn disponibiliza  outros recursos valiosos, como por exemplo a criação de Company Pages e Showcase Pages.

As Showcase Pages são extensões da  LinkedIn Page, que têm por objetivo destacar marcas, linhas de negócios e iniciativas individuais das empresas. Após a criação, elas são relacionadas na seção “Páginas afiliadas” da LinkedIn Page principal.

Os anúncios são  altamente segmentados (LinkedIn Ads) e a ferramenta de social selling, LinkedIn Sales Navigator, exclusiva para B2B (que vendem para outras empresas),  é considerada a mais completa do mercado.

Portanto, não há dúvida: as empresas do segmento B2B especialmente as que trabalham com tickets médios altos devem considerar o LinkedIn em suas estratégias.

Se  você quer saber mais e busca a parceria ideal para implantar as melhores estratégias do Marketing Digital, fale com a Agência Influência. Conheça seus cases, sua história, seus profissionais. Faça a escolha certa.

Tags:
Anterior
Remarketing: a arte do convencimento na web
Próxima
A crise e o novo olhar sobre o trabalho remoto
Menu